1. Reciclagem de latas vai muito além de pintar e pregar lacinhos!

    setembro 12, 2020 by Angelyne

    Quase todos os dias descartamos latas sem nos darmos conta do material que está ali à nossa disposição para ser transformado em algo diferente como, por exemplo, bijuterias. Basta para isso que usemos nossa criatividade.

    Crie peças únicas de acordo com sua imaginação e disponibilidade de materiais, como sementes, miçangas, contas diversas, arames, etc… 

    Se trabalhar com capricho, dando um bom acabamento em suas peças você poderá auferir uma renda extra vendendo suas criações.

    Veja abaixo algumas das peças que se pode fazer usando, como matéria prima, latas diversas que seriam descartadas. Passe o mouse sobre cada foto para ver que materiais foram utilizados.

    Estas são meras sugestões, lembre-se que o céu é o limite para sua inventividade.

    Algumas dessas peças estão à venda na Loja Bijus da Angel.

    Gostou da ideia? Então comece a juntar algumas latas que estejam em bom estado e sejam do seu agrado. Comece a imaginar o que poderia fazer com elas.

    Em breve será publicada uma apostila ensinado todo o processo de preparo da matéria prima para fabricação de bijuterias e as ferramentas necessárias. Fique ligado(a)!

    Abraço,

    Angelyne

     


  2. Sobras de tijolos como reaproveitar, decorando seu quintal

    setembro 1, 2020 by Angelyne

    Sabe aquele monte de sobras de tijolos de demolição que ficaram atravancando o seu terreno? Não os descarte! Veja aqui algumas sugestões de reaproveitamento que darão um up no seu quintal!

    Voltar para a lista de PAPs

    Sugestões:

    A- Construa um agradável espaço de descanso ou leitura ao ar livre.

    Escolha o local mais adequado para instalação do banco.

    Sobras de tijolos
    Imagem Google

    1 – Trace o caminho sobre a grama com estacas e um barbante ou use tinta ou areia de marcação para contornar. Defina primeiro a área de assento, depois os pontos de partida e de chegada e, em seguida, conecte-os.

    Sobras de tijolos
    Imagem Google

    2 – Cave o caminho com cerca de 20 cm de profundidade entre as linhas. Em seguida, corte as bordas verticalmente ao longo da linha pintada em um dos lados. Raspe o fundo de forma plana (foto 1).

    3 – Encha a escavação com areia úmida e compacte com firmeza com um batedor de madeira (foto 2).

    4 – . Puxe uma tábua plana ao longo da superfície para nivelar e alisar a areia. Encha e tampe qualquer ponto mais baixo (foto 3).

    5 – Coloque as sobras de tijolos começando na extremidade mais visível. Ajeite cada tijolo forçando-o para dentro da areia até mais ou menos meia altura. Remova ou adicione areia conforme necessário para acomodar a espessura desigual das calçadas e para manter o topo do caminho plano. Assente cada um na areia com alguns golpes delicados de marreta (foto 4)

    6 – Meça os cortes segurando o tijolo no lugar e marcando uma aresta. Use um quadrado para estender a marca completamente ao redor do tijolo. (foto 5 a). Coloque-o sobre a grama, apoie o cinzel sobre a marca e bata cuidadosamente várias vezes com um martelo. Faça o mesmo em todos os lados até que ele se quebre (foto 5 b).

    no images were found

    7 – Preencha com areia o espaço que ficou entre a lateral do caminho e a parte cortada do solo socando-a firmemente com seu pé (foto 6).

    8 – Varra a areia sobre o caminho, trabalhando-a até que todas as juntas estejam cheias (foto 7). Economize e guarde um pouco de areia para varrer para dentro das juntas após a primeira chuva.

    9 – Calcule as dimensões da área do banco, estabelecendo o padrão de forma aproximada. Ajuste a base de areia da mesma maneira que o caminho, colocando a borda em dois lados para servir de guia. Como você estará colocando um banco sobre ela, faça a superfície relativamente nivelada. Coloque os tijolos em filas escalonadas (um padrão de ligação contínua) que envolva as laterais. Comece pelo lado de fora e trabalhe até o meio. Será preciso um pouco de paciência e alguma recolocação até que os tijolos se encaixem. (figura 8). O projeto informal permite um espaçamento mais frouxo. A areia irá preencher as lacunas.

    B – Crie um espaço para fogueira

    fire-pit
    Imagem Google

    Neste friozinho nada como um bom papo à beira do fogo!

    Escolha um canto da parede ou muro onde não atrapalhe o seu espaço.
    Escave a terra de forma plana com uns 15 cm de profundidade.

    Preencha até a metade com areia e acomode a primeira camada de tijolos, começando da parede para fora, de forma que fiquem enfiados até a metade na parte escavada, formando um círculo.

    Coloque mais duas camadas disponha os tijolos de forma intercalada conforme na foto. Complete a parte de trás conforme a foto. Preencha o fosso formado com pedrisco até a altura da segunda fileira de tijolos e nivele. Pronto, agora é só colocar a lenha e acender sua fogueira.

    C – Monte um banho de pássaro

    Banho de pássaro
    Imagem google

    Para você que aprecia pássaros, monte uma coluna com as sobras de tijolos criando uma base onde instalar uma banheira para pássaros.

    Aos poucos seu quintal será invadido por eles. Será um ponto de parada para descansarem e se refrescarem.

    Basta montar uma coluna conforme a da foto em um local plano, intercalando os tijolos para dar estabilidade. Não é necessário fixar os tijolos, basta empilhá-los de forma estável.

    Em seguida coloque em cima uma vasilha, no formato aproximado de bacia, como a da foto, de preferência de cerâmica, que mantém a água fresca. Pode colocar uma pedra dentro como uma pequena ilha para eles pousarem em cima.

    Ao longo do dia, coloque mais água pois ela vai evaporando. Nos dias mais quentes você pode até adicionar uma ou duas pedras de gelo.

    Outras sugestões

    Veja na galeria abaixo várias outras sugestões que você pode seguir ou adaptar conforme seu gosto e a disponibilidade de tijolos.

    Voltar à lista de PAPs

    Bem, agora que você leu este post não tem mais desculpa para ficar reclamando da pilha de sobras de tijolos!

    Então, mãos à obra! Vai dar um pouco de trabalho, mas compensará o esforço.

    Depois envie fotos da sua criação para postarmos aqui!

    Abraço,

    Angelyne


  3. Gorro de tricô com sobrinhas de lã. Receita versátil!

    julho 15, 2020 by Angelyne

    Olá Pessoal, não joguem fora as sobrinhas de lã pequenas! Hoje vamos ver como usar todas elas para fazer um gorro super lindo e diferente que nem parece ser feito reaproveitando sobras. Além disso cada gorro é único pois as combinações de sobrinhas de lã são infinitas…

    Sobrinhas de lã diversas

    Sobrinhas de lã diversas

    Gorros com sobrinhas de lã

    Gorros com sobrinhas de lã

    Voltar à lista de PAPs

    Diferencial

    O segredo está na faixa central em ponto arroz que produz um efeito meio impressionista, meio pontilhista, que você não consegue com outros pontos como o tricô ou meia sozinhos, quando emenda fios de cores diferentes pois a aparência fica meio tosca. O ponto arroz ajuda a amenizar as emendas de cores e fios de texturas diferentes produzindo um relevo artístico interessante. 

    Ponto arroz

    Se você não sabe o que é ponto arroz, veja abaixo:

    Ponto arroz com sobrinhas de lã

    Ponto arroz com sobrinhas de lã

    1ª carreira direito: *1 tricô, 1 meia*, repetir até o fim da carreira.
    2ª carreira avesso: *1 meia, 1 tricô*, repetir até o fim da carreira.
    Repetir sempre estas duas carreiras.

    Como você pode notar, uma carreira é sempre tecida ao inverso da anterior, onde for tricô você tece meia e vice-versa.

    Bom, agora vamos para a receita que é super, hiper simples!

    Receita do gorro com sobrinhas de lã

    Materiais

    1 – Mais ou menos 30 g de lã (quase um novelo) para tecer a base do gorro
    2 – Diversas sobrinhas de lã de 4 ou 5 cores diferentes, com mais ou menos 2,5 ou 3 metros cada (se for menor não faz mal). Procure combinar cores contrastantes, claras e escuras, de tipos diferentes, mesmo que pareça que  não combinam muito entre si!  
    3 – 1 par de agulhas de tricô 5,5
    4 – 1 agulha de fundo largo para costurar tricô
    5 – 1 fita métrica ou régua
    6 – tesoura

    Modo de fazer

    Coloque 72 pontos na agulha e teça uma barra de 1 tricô, 1 meia por mais ou menos 4 cm. Em seguida comece a fazer ponto de meia no direito e tricô no avesso por mais 3 ou 4 cm. Deixe à espera.

    Divida cada uma das sobrinhas de lã em duas partes (para poder repetir o tema) e escolha a ordem de combinação de cores e texturas que mais lhe agrade. Assim você terá 2 sequências iguais de cores. 

    Nota: Caso as sobrinhas de lã que você tem sejam muito pequenas,  mas em grande quantidade, você pode emendar todas elas seguindo a alternância de cores e texturas que mais lhe agradar.

    Retome seu trabalho e comece a carreira seguinte, pelo direito, com as cores da primeira sequência, trabalhando em ponto arroz, quando o fio estiver terminando emende-o com o fio de outra cor, seguindo a ordem que separou. Continue tricotando assim, em ponto arroz, até usar todas as cores da sequência. Então recomece com a segunda sequência seguindo o mesmo padrão da anterior até terminarem todas as sobrinhas de lã separadas e completar a faixa de ponto arroz que deverá medir de 7 a 10 cm. 

    Finalização

    A partir daí comece a tricotar com a mesma lã do início do trabalho, agora tecendo em ponto meia no direito e tricô no avesso por uns 2 ou 3 cm. Nessa altura, o trabalho deverá estar com mais ou menos 17 ou 18 cm.

    Inicie então a carreira seguinte mudando o ponto para barra 2 tricô, 2 meia até o fim. Tricote por mais 2 ou 3 cm e então, pelo direito comece a diminuir. Na primeira carreira, direito, pegue 2 juntos em todos os pontos tricô e teça os dois meia normalmente. Na carreira seguinte, avesso, faça o mesmo com os pontos tricô e teça o ponto meia normalmente. Você terá 36 pontos na agulha.

    Tricote por mais 2 ou 3 cm em ponto barra 1 tricô, 1 meia. Em seguida diminua da seguinte forma: pelo direito, pegue dois juntos em meia (o meia seguinte e o tricô) e assim sucessivamente até o fim da carreira, Sobrarão 18 pontos. Teça a carreira seguinte, avesso, toda em tricô.

    Corte o fio em comprimento suficiente para costurar o gorro.

    Arremate

    Passe os pontos de uma agulha para a outra para facilitar a finalização. Enfie  a agulha de costurar tricô com a ponta do fio restante e introduza em todos os pontos, retirando-os da agulha de tricô e passando o fio que sobrou dentro de todos eles. Junte todos cuidadosamente para fechar o orifício resultante. 

    Utilize o fio para costurar o gorro no sentido da barra. Utilize o fio que sobrou na barra para costurar no sentido oposto. Onde os dois fios se encontrarem dê um nó e esconda as sobras dos fios na trama de pontos. O gorro pronto deverá ter entre 20 e 22 cm da barra ao topo.

    Ainda com ajuda da agulha de costurar tricô esconda todos os fios das emendas através dos pontos pelo avesso e aí está seu novo gorro original e único!

    Gorro de sobrinhas de lã

    Gorro de sobrinhas de lã

    Outro gorro de sobrinhas de lã

    Outro gorro de sobrinhas de lã

    Voltar à lista de PAPs

    Qualquer dúvida me avisem clicando aqui.

    Abraço,

    Angelyne